Quanto maior o número de informações do produtor e dos processos de produção, maior transparência e qualidade são entregues a quem o consome.

Você costuma ler os rótulos dos cafés que consome? Pois se a resposta for não, nós aconselhamos que a partir de hoje passe a se atentar. São os pequenos detalhes que farão um grande diferencial no sabor final da bebida e na sua saúde. Quanto maior o número de informações do produtor e dos processos de produção, maior transparência e qualidade são entregues a quem o consome.

Cafés de melhor qualidade demandam maior dedicação desde o seu plantio, passando por importantes etapas até a torrefação e no momento em que será servido, na xícara.

Há diversos fatores cruciais que determinam para que um café tenha qualidade superior.

São diversos os pontos que influenciam: escolha da terra, o tipo de grão, o plantio da muda, a posição do sol (o que influencia na doçura do grão), a altitude da fazenda, entre outros importantes detalhes, como os minerais corretos a serem inseridos no solo. Como o café é um organismo vivo, para que tenha e conserve atributos diferenciados e ainda seja considerado especial, ele precisa de uma atenção diferenciada também na colheita, secagem, armazenagem, torra e extração, além da própria “mão do barista”: sabendo tirar com qualidade um café, seus atributos serão preservados.

Certificações e selos de origem

Assim como outros produtos alimentícios, há órgãos certificadores para o café. Geralmente por escala sensorial, o café é analisado e recebe uma nota. Quanto maior a nota, melhor o café. A qualidade da bebida é avaliada sensorialmente por analistas experientes e treinados, além de ser certificada por laboratórios credenciados. A Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA) por exemplo, possui uma escala de 0 a 100 pontos, em que acima de 80 pontos o café é considerado especial. A certificação da produção transparece a garantia da procedência e o respeito do produtor às normas ambientais e trabalhistas.

Alguns dos principais selos do segmento cafeeiro que podem constar nas embalagens de cafés especiais:

  • Selo BSCA: Este selo é a garantia de que o café é produzido com alta qualidade. A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA – Brazil Specialty Coffee Association) tem como objetivo congregar produtores de cafés especiais, difundir a sua produção, estimular o constante aprimoramento técnico e a maior eficiência nos serviços referentes à comercialização destes cafés.
  • Selo Certifica Minas: Idealizado pelo Governo de Minas Gerais, o Programa tem como principal objetivo a implantação de boas práticas de produção, de modo a aumentar a visibilidade e a competitividade nos mercados nacional e internacional.
  • Selo UTZ: Esse selo surgiu em 1997, visando garantir sustentabilidade e melhores oportunidades para quem produz, para suas famílias e também para o planeta. A proposta do programa permite “Melhores colheitas, mais renda e melhores oportunidades ao preservar o ambiente e proteger os recursos naturais da terra”
  • Selo Rainforest Alliance: A Rainforest Association é uma rede sem fins lucrativos que visa preservar a biodiversidade e comunidades e assegurar o desenvolvimento sustentável através de rigorosos critérios ambientais e socioeconômicos.

Além das certificações, recomendamos outros atributos de qualidade para serem analisados na hora da escolha do seu café, como a rastreabilidade do produto e se todas as informações características estão impressas na embalagem. Você se sente muito mais seguro quando sabe de onde vem o produto que está consumindo, não é mesmo?

Afinal, é uma bebida que você pode tomar diversas vezes ao dia e que vai influenciar positivamente ou negativamente em sua saúde, no seu paladar e até em sua qualidade de vida. Você merece o melhor!

LEIA TAMBÉM: Cansado de tomar café ruim? Saiba como o ponto de torra influencia no sabor e qualidade do seu café

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *